Edição 234

Esta edição de Téchne traz ao debate um problema que está tirando o sono (e o dinheiro) de muita gente - consumidores de imóveis, fornecedores de materiais e principalmente construtores. O problema é o destacamento do revestimento cerâmico em cozinhas e banheiros, patologia que não é nova, mas impressiona pelo elevado número de ocorrências surgidas nos últimos dois anos. De acordo com uma pesquisa encomendada pelo SindusCon-SP à empresa Neoway Criactive, o descolamento de placas supera os 500 mil m² e atinge vários Estados. Hipóteses não faltam para tentar explicar as ocorrências, e talvez demore até que se chegue a uma conclusão, mas o fato mais importante, como lembra o engenheiro Paulo Sanchez, é que as construtoras tomaram a iniciativa de estudar a questão. Conhecer a fundo as características e o comportamento dos materiais em diferentes situações, os processos de produção e aplicação, a visão sistêmica do que se faz, as normas técnicas e as boas práticas parece ser o melhor caminho para debater qualquer tema com autoridade.
E para confirmar o ditado popular - "Saber não ocupa espaço" - pode-se dizer que o conhecimento não é só reativo ou preventivo. É também proativo, como mostra, também nesta edição, a entrevista de Wilton Catelani sobre o uso do BIM no Brasil. Em meio ao seu testemunho militante, que detecta como poucos a resistência à tecnologia, podemos entender que a crise é também oportunidade.
Eder Santin

01 de Setembro de 2016